Leituras da semana

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

♥ 10 dicas para se manter segura no Carnaval

♥ Seja sua melhor companhia

Saber aproveitar a própria companhia nos traz liberdade para viver o que queremos | <i>Crédito: Danka & Peter (Unsplash)

♥ A obsessão com o o corpo “perfeito” está nos impedindo de viver

♥ Os melhores aprendizados do livro “O ponto de equilíbrio”

♥ Por que chamamos mulheres de meninas?

* Imagem: Freepik

Anúncios

Leituras da semana

apple, decor, home, home office, tumblr

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

5 dicas para manter a casa em ordem no dia a dia

dia a dia em ordem

♥ No final das contas, é tudo sobre o amor. Sobre encontrar-se. E recomeços.

ana-soares-carnaval-hoje-vou-assim-off

♥ 10 formas simples de tornar sua vida profissional menos estressante

O conceito de Dose Mínima Eficaz (ou “feito é melhor que perfeito”)

♥ Mansplaining: o que é e como ele pode prejudicar sua carreira

mansplaining

* Imagem retirada daqui

Status: Metas do mês – Janeiro

Links da Semana 1

Dá pra acreditar que já se passaram 8% do ano? Pois é, o mês de janeiro já está acabando e chegou a hora de conferir como foi o andamento das metas que eu havia traçado:

♥ Terminar de ler o primeiro livro do ano :/ Esse ano decidi que vou ler só livros escritos por mulheres e resolvi começar com “O ano em que disse sim”, da Shonda Rhimes. Estou amando, porém, ainda não terminei de ler (estou em cerca de 70%).

♥ Tomar chá de hortelã com mais frequência – 🙂 Para quem não sabe, eu parei de tomar anticoncepcional há um bom tempo. Desde então, regular meu ciclo tem sido um desafio, mas o chá de hortelã tem me ajudado bastante (posso fazer um post sobre isso futuramente). Em dezembro, eu tomei o chá com mais frequência do que em janeiro, mas ainda assim procurei colocar esse “tratamento” na minha rotina sempre que possível.

♥ Fazer uma “limpa” em roupas, sapatos, bolsas, maquiagens e separar para doação – 🙂 Sim, concluí essa meta com louvor. Fiz uma limpa em roupas que eu estava guardando há anos mesmo sem uso (sabe quando você simplesmente vai deixando pra lá?) e separei o que era lixo e o que era para doação. Só falta entrar em contato com a instituição de caridade para recolher essas doações aqui no meu bairro.

♥ Comprar peças de roupa que faltam e roupas de cama novas – 🙂 Sim, aproveitei minhas férias na minha cidade para comprar algumas blusinhas, um sutiã e também 2 conjuntos de roupa de cama novos. Os antigos estavam com furos (ter gato em casa é isso aí…) e manchados. Os que ainda estavam bons foram para doação e os demais serão aproveitados para forrar a caixinha de transporte da Luna.

♥ Pagar anuidade do CRP – 🙂 Começo de ano é sempre assim, né? Todos os impostos e taxas vêm de uma vez. Como sou psicóloga, preciso pagar anualmente a taxa do CRP (Conselho Regional de Psicologia), que regulamenta a profissão. Aproveitei o 13º para pagar a anuidade à vista, assim, não preciso mais me preocupar com isso até o ano que vem.

E vocês, já estão pegando firme nas metas de 2018? Quais foram as conquistas desse mês?

Casa (im)perfeita

bed, bedroom, book, books, comfortable

Imagem daqui

Eu cresci em um lar onde os conceitos de “certo” e “errado” eram muito bem definidos. Minha mãe, dona de casa exemplar e apaixonada por limpeza e organização, até hoje acorda às sete da manhã e só para de trabalhar na arrumação da casa às sete da noite, quando vai tomar banho e assistir suas novelas favoritas.

Durante muito tempo eu acreditei que essa forma de lidar com a casa era o “jeito certo”: os cômodos precisavam estar sempre impecavelmente arrumados, os móveis limpos e sem poeira, a cama feita, as almofadas dispostas paralelamente, e por aí vai. A minha vida toda eu ouvi que era bagunceira porque manter as coisas assim não era o meu instinto natural.

Minha visão só mudou quando eu saí da casa dos meus pais e fui morar sozinha. É claro que nunca é fácil quando você precisa lidar com os serviços domésticos pela primeira vez. Só aí você descobre a utilidade de cada produto de limpeza (e também o quanto eles custam caro!), vê a importância de manter suas coisas minimamente limpas e organizadas, a louça lavada e guardada, etc.. Porém, vi que nada de grave vai acontecer se eu deixar a poeira acumular sobre os móveis por uns dias. Que a louça não precisa ser lavada imediatamente depois do jantar. Que ninguém vai morrer se eu sair pra trabalhar sem arrumar a cama.

A verdade é que a sociedade em que vivemos cobra muito de nós, mulheres, para que sejamos profissionais competentes no escritório, mas também donas de casa exemplares que mantêm tudo em ordem no lar. Essa jornada dupla (às vezes tripla, quádrupla, quando pensamos em mulheres que estudam, que cuidam dos filhos) é bastante cruel porque exige uma perfeição em todas as áreas de nossas vidas que na real é inalcançável.

Durante muito tempo eu pensei que precisava dar conta de tudo e acabava me sentindo culpada quando, obviamente, eu não dava. Minha rotina é muito diferente da de alguém com dedicação full time para cuidar da casa (observem: nem melhor, nem pior, apenas diferente). Ao contrário da minha mãe, que gosta de arrumar a casa, a maioria dos trabalhos domésticos para mim são mera obrigação. Será mesmo que, depois de uma semana longa e cansativa de trabalho, eu preciso gastar meu sábado inteiro fazendo faxina ao invés de descansar, assistir um filme, ler um livro?

Não estou fazendo aqui uma ode à casa zoneada, ao lixo e à poeira acumulados, nada disso. O que eu quero dizer é que minha casa reflete como eu sou e, como eu, é cheia de imperfeições, de coisas que não saem conforme o esperado. Não é uma casa de capa de revista. E tudo bem. Se nós queremos chamar de lar o lugar onde moramos, precisamos diminuir as expectativas que depositamos nele (e em nós mesmos). Em uma rotina atribulada como a nossa atual, a prioridade é manter uma casa com tarefas divididas igualmente, funcional, viva, ainda que imperfeita.

Leituras da semana

bed, jeans, laptop, legs, life style

Imagem daqui

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

♥ Sobre respirar e estar

♥ Dicas para cozinhar de forma mais saudável mesmo quando bate aquela preguiça

Vegetais congelados para cozinhar no vapor sempre salvam a vida. Jogamos um saco de brócolis, vagem, mix de vegetais e outras coisas no micro-ondas por cinco minutos e está pronto pra servir! É muito mais fácil do que pegar potes e panelas para ferver ou saltear os vegetais. —Katie Holzhause, FacebookEu compro um recipiente enorme com um mix de folhas pré-lavadas, depois as adiciono em tudo. Elas são boas para uma salada simples com uma lata de atum no almoço, misturadas na sopa ou no picadinho, ou salteadas sobre quinoa ou arroz. São ótimas com ovos, abacate, grãos, carne ou peixe. É uma ótima forma de comer mais fibras e vitaminas.—christinak4c924587c

Como organizar seus hábitos

Planilha de Habitos

♥ Artista coloca homens no lugar de mulheres em anúncios machistas

A beleza como mito – Entrevista com a maquiadora Vanessa Rozan

vanessa

 

5 tipos de lixo que deixei de produzir + alternativas ecológicas para rotina de cuidados pessoais

Untitled - image #3185283 by Lauralai on Favim.com

Imagem daqui

Faz algum tempo que venho prestando mais atenção à quantidade de lixo que produzo e tenho tentado reduzir um pouco do impacto que causo no ambiente com a minha rotina. Hoje, venho contar para vocês quais são os produtos que antes eu considerava indispensáveis mas que hoje substituo por alternativas mais eco-friendly:

1. Absorventes descartáveis

Como já falei aqui, abandonei os absorventes comuns e comecei a usar o coletor menstrual. Um dos motivos foi exatamente reduzir a quantidade de lixo gerada todo mês com a produção e o descarte desses produtos. Os absorventes descartáveis contém plástico e algodão tratado com substâncias químicas que contaminam o ambiente e podem causar alergias.

Alternativas: Coletor menstrual, absorventes de pano

Leia mais: 1 | 2 | 3

2. Aparelhos de barbear descartáveis

No intuito de minimizar a quantidade de plástico descartada (que levam centenas de anos para se decompor), substituí as famosas giletes de plástico por um aparelho de barbear onde só as lâminas são descartáveis (estilo Gillette Mach 3). Sei que ainda não é a melhor solução, já que esses aparelhos são compostos de plástico e metal que não podem ser separados para uma reciclagem correta, porém só o fato de usar uma lâmina “refil” e manter o aparelho por mais tempo já reduz a quantidade de lixo produzida.

Alternativas: Barbeadores com lâminas descartáveis, cera orgânica, depilador elétrico

Leia mais: 1 | 2

3. Lenços umedecidos e discos de algodão

Apesar de serem feitos de um material aparentemente inofensivo, as bolinhas e discos de algodão passam por diversos tratamentos químicos nocivos ao ambiente antes de irem para as prateleiras. Já os lenços umedecidos, nem se fala: além de conter substâncias poluentes, não são feitos de tecido e portanto não são recicláveis. Por isso, para limpar a pele, tirar maquiagem ou passar algum produto líquido no rosto, tenho utilizado uma toalha de mão mais velhinha (é só lavar e, se manchar, não tem tanto problema).

Alternativas: Discos de crochê (eco pads), toalhinhas de algodão

Leia mais: 1 | 2 | 3

4. Esfoliantes com microesferas plásticas

Esse foi o primeiro tipo de produto que aboli do meu dia-a-dia, quando soube o quão prejudiciais essas “bolinhas” são para o meio ambiente. Para quem ainda não sabe, as microesferas são produzidas a partir de material plástico e, por não serem filtradas no sistema de esgoto, vão parar nos nossos oceanos, são ingeridas por animais marinhos e acabam contaminando os pobres bichinhos. Uma forma de evitar esses danos é produzir seu próprio esfoliante caseiro. Eu uso sabonete líquido + açúcar para o rosto; nos lábios substituo o sabonete por mel (você pode ver essa receitinha aqui); e no corpo eu uso uma bucha vegetal.

Alternativas: Misturinhas caseiras (com açúcar, café, fubá, etc.), bucha vegetal

Leia mais: 1 | 2

5. Esponjas e buchas sintéticas

Confesso que a bucha sintética para tomar banho é o único produto dessa lista que ainda me acompanha, pois a minha ainda está em bom estado e achei melhor só descartar quando ela estiver desgastada (pois é, utilizar o que já temos também é uma forma de reduzir o lixo). Mas há algum tempo tenho adotado a bucha vegetal para aqueles momentos em que quero uma esfoliação mais potente e também para fazer escovação a seco. Por ser orgânica, a bucha vegetal é compostável e biodegradável, além de ser muito mais barata (o bolso também agradece!).

Alternativas: Bucha vegetal, escova de cerdas naturais

Leia mais: 1 | 2