Amar é deixar ir

black and white, close, drawing, fight, forget

A vida toda, fomos acostumados a pensar em sentimentos como uma forma de prisão. Quando gostamos de alguém, temos a tendência de nos referir à pessoa como sendo “nossa”. “Esse é meu namorado”, “ela é minha amiga”, “nossa, isso é a cara da minha mãe”. Só questão de semântica? Talvez. Mas hoje me peguei pensando nisso e em como nos referimos a quem a gente ama.

Porque amar está longe de ser um sentimento de posse. Claro que não pensei assim a vida toda, mas fui amadurecendo essa ideia aos poucos. As pessoas não nos pertencem, assim como não dá pra esperar que pessoas – essa misturinha de independência com sociabilidade – sejam ou ajam de acordo com o que esperamos.

Eu sempre fui uma pessoa de poucos amigos. Sou um pouco tímida e bastante introvertida. Não gosto de multidões e prefiro sempre estar entre poucas pessoas em quem confio, isso quando não prefiro estar sozinha. Assim como espero que os outros respeitem essa minha particularidade, tive que me acostumar com a ideia de que, às vezes, as pessoas vão se afastar. E com o tempo, eu entendi que tudo bem, sabe?

Voltando lá pro assunto do começo, não existe essa coisa de as pessoas pertencerem umas às outras. As pessoas entram nas nossas vidas e podem ter um papel importante ou não nelas, podem causar ou não impacto, podem ou não levar algo de nós com elas e, da mesma forma, podem ou não permanecer. É importante respeitar as decisões das pessoas – principalmente de quem a gente ama – mesmo que isso signifique não tê-las mais por perto.

O mundo muda, as circunstâncias mudam e as pessoas mudam com elas. Amar é entender que nem tudo vai continuar igual para sempre, nem tudo vai voltar a ser como era antes. E que tá tudo bem. Amar é respeitar as pessoas por suas decisões e seguir em frente, guardando na memória o tempo bom que foi vivido. Amar é ser livre e permitir que o outro também seja. Amar, muitas vezes, é deixar ir.

* Imagem retirada daqui
Anúncios

Leituras da semana

autumn, beverage, chill, chilly, choco

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

Algumas considerações sobre levar uma vida minimalista

Dicas para começar a meditar

3 lições de uma #GIRLBOSS, segundo a autora Sophia Amoruso

Como aproveitar melhor seu ano daqui pra frente

Resumindo o método GTD em 11 minutos

* Imagem retirada daqui

Metas do mês – Junho

Qualquer mês:

Já passamos de 40% do ano, o que significa que grande parte já foi, mas ainda temos muito tempo pela frente se quisermos transformar 2017 em um ano de realizações. Então, bora pras metas de Junho?

♥ Cuidar mais do meu visual e autoestima

♥ Ler mais um livro (o 5º do ano)

♥ Ir em alguma festa junina

♥ Equilibrar minha vida financeira

♥ Listar peças de roupa que pretendo comprar

* Imagem retirada daqui