Leituras da semana

apple, carefree, chanel, chic, chocolate

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

5 maneiras de ser mais gentil consigo mesma

Pílula anticoncepcional: da revolução sexual à revisão de seu uso

“Dependência de empregada”: meu apartamento tem senzala

8 maneiras de se destacar no ambiente de trabalho

♥ 20 apps legais para você que finalmente virou adulto

* Imagem retirada daqui

Anúncios

Quando se está uma bagunça

Eu quando preciso fazer algo e estou com preguiça.

Estou escrevendo esse post em pleno domingo à noite e, ao fundo, o som do Domingão do Faustão só me causa ainda mais bad. Talvez seja por influência de mercúrio retrógrado ou mesmo do eclipse solar que está por acontecer. Ou talvez os astros não tenham nada a ver com isso. Mas a verdade é que já faz algum tempo que eu estou uma bagunça, por dentro e por fora.

No ano passado, eu abri meu coração sobre as crises que estava tendo e a verdade é que recentemente algumas dessas sensações voltaram. Depois de uma fase muito boa profissionalmente, as coisas parece que começaram a andar para trás. Ando muito cansada e sem pique pra nada. Quando chega o final de semana, tudo o que eu quero é ficar quietinha em casa, na minha. Quando o final de semana acaba, me bate um desânimo de ter que começar tudo de novo no dia seguinte.

Enfim, acho que esse post foi só uma forma de colocar um pouco pra fora o que venho sentindo ultimamente. Às vezes a gente precisa mesmo de um tempo para se isolar do mundo e prestar atenção em nós mesmos, e é isso o que estou buscando fazer nesse momento. Às vezes a gente precisa entrar em contato com nossos monstrinhos interiores, remexer o lixo emocional que acumulamos, curtir um pouco a bad. Colocar o dedo na ferida para, depois, começar o processo de cura. Ser uma bagunça total para, então, se arrumar.

* Imagem retirada daqui

Amar é deixar ir

black and white, close, drawing, fight, forget

A vida toda, fomos acostumados a pensar em sentimentos como uma forma de prisão. Quando gostamos de alguém, temos a tendência de nos referir à pessoa como sendo “nossa”. “Esse é meu namorado”, “ela é minha amiga”, “nossa, isso é a cara da minha mãe”. Só questão de semântica? Talvez. Mas hoje me peguei pensando nisso e em como nos referimos a quem a gente ama.

Porque amar está longe de ser um sentimento de posse. Claro que não pensei assim a vida toda, mas fui amadurecendo essa ideia aos poucos. As pessoas não nos pertencem, assim como não dá pra esperar que pessoas – essa misturinha de independência com sociabilidade – sejam ou ajam de acordo com o que esperamos.

Eu sempre fui uma pessoa de poucos amigos. Sou um pouco tímida e bastante introvertida. Não gosto de multidões e prefiro sempre estar entre poucas pessoas em quem confio, isso quando não prefiro estar sozinha. Assim como espero que os outros respeitem essa minha particularidade, tive que me acostumar com a ideia de que, às vezes, as pessoas vão se afastar. E com o tempo, eu entendi que tudo bem, sabe?

Voltando lá pro assunto do começo, não existe essa coisa de as pessoas pertencerem umas às outras. As pessoas entram nas nossas vidas e podem ter um papel importante ou não nelas, podem causar ou não impacto, podem ou não levar algo de nós com elas e, da mesma forma, podem ou não permanecer. É importante respeitar as decisões das pessoas – principalmente de quem a gente ama – mesmo que isso signifique não tê-las mais por perto.

O mundo muda, as circunstâncias mudam e as pessoas mudam com elas. Amar é entender que nem tudo vai continuar igual para sempre, nem tudo vai voltar a ser como era antes. E que tá tudo bem. Amar é respeitar as pessoas por suas decisões e seguir em frente, guardando na memória o tempo bom que foi vivido. Amar é ser livre e permitir que o outro também seja. Amar, muitas vezes, é deixar ir.

* Imagem retirada daqui

Leituras da semana

autumn, beverage, chill, chilly, choco

Neste espaço eu compartilho com vocês alguns links e postagens interessantes que li durante a semana:

Algumas considerações sobre levar uma vida minimalista

Dicas para começar a meditar

3 lições de uma #GIRLBOSS, segundo a autora Sophia Amoruso

Como aproveitar melhor seu ano daqui pra frente

Resumindo o método GTD em 11 minutos

* Imagem retirada daqui

Metas do mês – Junho

Qualquer mês:

Já passamos de 40% do ano, o que significa que grande parte já foi, mas ainda temos muito tempo pela frente se quisermos transformar 2017 em um ano de realizações. Então, bora pras metas de Junho?

♥ Cuidar mais do meu visual e autoestima

♥ Ler mais um livro (o 5º do ano)

♥ Ir em alguma festa junina

♥ Equilibrar minha vida financeira

♥ Listar peças de roupa que pretendo comprar

* Imagem retirada daqui

Status: Metas do mês – Maio

book, books, college, desk, laptop

Depois de um mês super movimentado como foi Abril (oi, BEDA!), resolvi viver um mês de Maio mais low profile, sabe? Resolvi me dar um tempo e até por isso dei uma sumida aqui do blog, mas já estou com saudades e pretendo voltar. Enfim, chega de enrolação e vamos ao status das metas:

Terminar de assistir todas as temporadas de Mad Men – 🙂 Cheguei até a última temporada (são sete, ao todo) e o que posso dizer é que definitivamente não é uma série fácil de assistir. Tem muitos aspectos positivos, mas não é essa coca-cola toda que dizem.

♥ Continuar fazendo o diário da Lua Vermelha e identificar padrões – 🙂 Sim, mantive o hábito de acompanhar meu ciclo através de uma “moondala” e já começo a observar alguns padrões. Pretendo continuar e adotar esse hábito para a vida.

♥ Economizar dinheiro e terminar o mês no azul – 😐 Me saí bem melhor do que no mês anterior, mas ainda assim não consegui cumprir meu objetivo. A verdade é que minha saúde financeira não anda lá essas coisas e preciso organizá-la urgentemente. Vou continuar me esforçando no próximo mês.

♥ Fazer afirmações positivas diariamente para atrair coisas boas – 🙂 Sim, sim e sim! Com certeza foi a melhor coisa do meu mês. Pretendo fazer um post sobre isso futuramente, mas em resumo salvei uma pasta no Pinterest com algumas afirmações positivas e colei post-its com as minhas preferidas no espelho da penteadeira. Assim, todo dia de manhã eu posso lê-las e me concentrar em levar esse pensamento positivo para o meu dia.

♥ Voltar a seguir uma rotina matinal e noturna – 😦 Não cumpri. Na verdade, como eu falei, Maio não foi um mês em que me preocupei em seguir rotinas, mas sim fui deixando as coisas acontecerem naturalmente. Isso se refletiu em um dia-a-dia mais caótico, mas que de um jeito ou de outro funcionou. Mas sinto falta de rotina e pretendo voltar aos eixos a partir de agora.

Junho já está batendo na nossa porta e com ele vem mais uma oportunidade de manter a disciplina e alcançar mais metas. Torçam por mim, hein?

* Imagem retirada daqui