BEDA #26 – TAG A louca dos gatos

black, black and white, body, cat, dark

Mais uma TAG aqui no blog, dessa vez sobre um tema que eu adoro muito: gatos! Sim, eu sou a louca dos gatos e acho que esses bichanos têm muito a nos ensinar sobre o amor (como diz uma frase que li pelas ~ internets ~, “a dificuldade humana de gostar de gatos está diretamente ligada à incapacidade de amar sem dominar”). Vamos às perguntas?

1. Quantos gatos você já teve?
Minha mesmo, só a Luna, minha pretinha atual. Mas quando eu morava com a minha irmã, também tinha a gatinha dela, a Nala (uma ruivinha muito espertinha e espoleta).

2. Sempre teve gatos?
Não. Minha família gosta mais de cachorro, então nunca tinha nem pensado em ter gato. Quando vim para BH, conheci uma ONG que funcionava no prédio onde eu estudava e achei que seria legal ter um bichinho de estimação que fosse mais independente e não sofresse por viver em um apartamento pequeno.

3. Quantos gatos tem agora?
Só a Luna.

4. Gostaria de ter mais?
Às vezes eu acho que sim, mas depois acho melhor não. Se dependesse só de mim, adotaria o máximo de felininhos possível, mas a Luna não se dá muito bem com outros animais e sei que ela sofreria com isso.

5. O que determina o número de gatos? Dinheiro, espaço, tempo, pessoas com quem divide a casa?
Tudo isso. Eu acho que toda adoção de animais deve ser responsável, porque depois não dá pra simplesmente abandonar de novo na rua, né? É importante pensar em todos os impactos que um animalzinho vai trazer para sua rotina, só assim se torna possível avaliar quantos você pode ter.

6. Já resgatou gatos da rua? Quantos?
Não participei do resgate em sim, mas como já mencionei, a Luna foi adotada através de uma ONG que resgata cães e gatos de rua e em situação de risco.

7. Já passou apuros por ser a louca dos gatos?
Já. A Luna é um tantinho antissocial e não gosta de conviver com outros animais. Uma vez, durante uma consulta veterinária, a gata da dona do pet shop entrou na sala e começou a tretar com a Luna que, apavorada, tentou fugir pela janela. Foi o maior sufoco que já passei na vida! A veterinária e meu namorado saíram arranhados e sangrando por terem apartado a briga, mas felizmente terminou tudo bem.

8. Ajude as migas gateiras: marca de ração seca, marca de ração molhada, marca de areia, brinquedo preferido.
– Ração seca: Matisse, preferencialmente a versão para castrados. Foi recomendação da veterinária e a Luna adora!
– Ração molhada: Não costumo dar muito, mas eventualmente compro o famoso Whiskas Sachê.
– Areia: Já testei várias e a que mais funciona é a Pipicat. Ela forma “blocos” de areia e é bem mais fácil para limpar.
– Brinquedo: A Luna AMA coisas que tenham cordinhas (cadarços, barbantes, fone de ouvido…), fica alucinada! Inclusive ela tem um arranhador tipo esse aqui, mas nem liga pro poste de arranhar, só para o brinquedinho pendurado!

9. Você se imagina virando ~ a velha dos gatos ~?
Acho que não, porque não me imagino tendo muitos gatos (pelos motivos que citei anteriormente). Mas sou super defensora da causa e, sempre que possível, incentivo pessoas do meu convívio a adotarem animais abandonados. Quem sabe não serei “mãe” de vários gatos, mas sim “madrinha”?

Adorei responder essa TAG e dividir com vocês um pouquinho da minha experiência gatística, haha. Por fim, deixo vocês com uma foto da minha princesa Luna. Fala se não é a coisa mais linda desse mundo? 😻

IMG_20150122_164739

* Imagem retirada daqui

17629873_1319972661384518_3287602528063976838_n

BEDA #21 – TAG Felicidade é…

girl, hair, inspiration, jacket, journey

Mais uma TAG que está rodando pela internet e que eu adorei a ideia de responder. Além disso, falar sobre felicidade é algo que tem tudo a ver com minimalismo e com a proposta do blog. Então vamos às perguntas:

1. O que você gosta de fazer quando está sozinha?
Gosto muito de ler, assistir vídeos no youtube e visitar meus blogs favoritos. Se estou inspirada, também gosto de escrever.

2. O que você gosta de fazer junto com outras pessoas (amigos, família ou namorado)?
Comer, hahaha. Quando estou reunida com as pessoas que eu gosto, gosto de sair para comer em um lugar bacana ou mesmo cozinhar em casa. Além disso, conversar e relembrar histórias engraçadas é sempre muito bom.

3. Pequenas coisas que te faziam feliz na sua infância
Eu gostava muito de quando meu pai me levava para fazer compras com ele. O dono do mercado era amigo dele e sempre levava a gente pra casa no caminhão, junto com as compras. Também me lembro com carinho de quando minha mãe ia me buscar na escola e de lá íamos para a casa da minha avó. Tenho várias lembranças felizes da minha infância, mas essas são bem especiais para mim.

4. Uma coisa que te deixou feliz essa semana
O fato de estar de férias e poder acordar naturalmente, sem despertador. Sério, melhor coisa da vida.

6. Cite 3 coisas que te deixam muito feliz
– Comida boa. Fazer o quê, gente? Eu amo! Nada melhor do que uma confort food pra tirar a gente da bad
– Estar com as pessoas que eu amo. Podem ser meus amigos, meu namorado, minha família, mas é muito bom quando estamos ao redor de quem realmente se preocupa com a gente.
– Música animada. Tem coisa melhor do que ouvir aquela música que você adora tocar na rádio? 😉

7. Complete: Felicidade é…
…estar na companhia de quem você ama, ter acesso a tudo o que te faz bem e ser grato por isso.

8. Convide 3 pessoas para responder essa TAG
– Bruna, do Uma vida mais simples
– Bárbara, do Meu diário minimalista
– Yuka, do Viver sem pressa

Me conta aqui nos comentários, o que é felicidade para você?

17629873_1319972661384518_3287602528063976838_n

BEDA #18 – 30 fatos sobre mim

Sorriso:

Já vi várias pessoas respondendo essa TAG – dá pra chamar de TAG? – que consiste em contar 30 curiosidades sobre si mesmo e resolvi responder também. Gosto desse tipo de post porque vocês conseguem conhecer um pouco mais sobre mim:

1. Quando era mais nova eu dizia que odiava gatos, até que eu adotei a Luna, minha pretinha, através de uma ONG. Hoje sei que gatos são lindos e muito amorosos (quem diz que não gosta é porque não conviveu com um o suficiente).

2. Adoro todo tipo de coisa mística, como astrologia, feng shui, tarot, cristais, filtros dos sonhos, velas, incensos, banhos de ervas, rituais, etc.

3. Tenho uma tatuagem do meu signo e uma do meu arcano favorito do tarot, cada uma em um pulso, que pra mim é o lugar do corpo onde a vida mais “pulsa”.

4. Sou uma pessoa de poucos, mas bons, amigos. Demoro a pegar confiança nas pessoas, mas quando isso acontece eu me torno extremamente leal.

5. Apesar de ter melhorado muito, ainda sou uma pessoa muito ansiosa. Tenho a péssima mania de sofrer por antecipação.

6. Só vale a pena manter algo na minha vida enquanto fizer sentido, enquanto eu tiver uma identificação profunda com aquilo. Senão, é descartável. Isso vale para coisas e pessoas.

7. Desde 2013 aderi a um estilo de vida minimalista, então não acumulo mais nada. Doei – e periodicamente faço uma limpa pra doar de novo – muitas das coisas que não usava mais, como roupas, sapatos, maquiagens, etc. Acredito que as coisas têm energia e ela precisa circular.

8. Gosto muito de ler, mas só consigo terminar um livro quando realmente estou curtindo. Por isso, já comecei a ler vários clássicos e best sellers renomados e desisti no meio.

9. Acho que a vida é curta demais para perder tempo com coisas que não valem a pena, que não fazem os olhos brilharem e o coração bater mais forte. Talvez eu seja um pouco hedonista. Talvez seja culpa da minha lua em touro.

10. Sou muito crítica com os outros, mas principalmente comigo mesma. Gosto de sempre dar o meu melhor em tudo o que faço, senão, é melhor nem fazer.

11. Sempre tive essa inclinação, mas há algum tempo tenho me envolvido mais de perto com pautas feministas e sociais. Sinto como se eu tivesse tirado um véu que cobria meus olhos e agora nunca mais vou voltar a ver o mundo como antes.

12. Eu AMO Friends, é minha série preferida da vida! Sei praticamente todas as falas de todos os episódios. Quando termino de assistir as 10 temporadas, geralmente começo de novo.

13. Fora isso, não tenho paciência pra séries. Nunca vi Game of Thrones, The Walking Dead, Breaking Bad, Narcos, House of Cards e essas outras séries que todo mundo assiste. Normalmente, fico de fora das rodinhas de conversa.

14. Também não gosto de Harry Potter, Senhor dos Anéis, Crônicas de Nárnia e essas sagas que a maioria das pessoas gosta. ~Diferentona~

15. Eu não acompanho futebol europeu, mas AMO futebol brasileiro. Esse ano finalmente pude assinar o canal Premiere para assistir a todos os jogos que eu quiser

16. Sou atleticana fanática, por influência do meu pai. Quando assisti a um jogo no estádio pela primeira vez, senti uma identificação inexplicável com a torcida, um sentimento de pertencimento que nunca havia sentido antes.

17. Eu sempre fui de humanas. Na escola, gostava só de história, inglês e redação. Cheguei a entrar para um grupo que se chamava “Ágora”, para estudar e discutir sobre filosofia.

18. Sempre estudei em escola pública, desde a pré-escola até a universidade. Isso me deu uma noção de diversidade da qual sinto falta nos meios que frequento hoje em dia. A gente sabe que educação e oportunidades de desenvolvimento não são bens universais e irrestritos, infelizmente.

19. Meu gosto musical é bizarramente eclético. Gosto de vários estilos em pé de igualdade, como rock, pop, sertanejo, pagode, axé, funk, MPB. O conceito de “música ruim” é bastante relativo para mim.

20. Sou muito tímida hoje em dia, mas era bem pior há uns anos atrás. Eu tinha pavor de apresentar trabalhos ou falar qualquer coisa em público. Hoje já sou bem mais de boa com isso, apesar de ainda não gostar muito.

21. Tenho uma memória muito sensorial: associo cheiros a lugares, músicas a pessoas, gostos a momentos, enfim. Isso é perigoso porque posso deixar de gostar de uma coisa por associar inconscientemente a outra que não gosto (tipo quando você coloca sua música favorita como despertador).

22. Completei 25 anos no último dia 25 de outubro. 1/4 de século, check.

23. Minha comida favorita da vida é cheeseburger com batata frita. Amo demais!

24. Acompanho e assisto vários youtubers diariamente, mas minhas favoritas são: Karol Pinheiro, Niina Secrets, Foquinha, Lia Camargo e Maíra Medeiros. Além das dicas de beleza, gosto da forma como elas falam sobre questões do dia-a-dia.

25. Tenho duas irmãs e um irmão, todos mais velhos que eu (sim, sou a filha caçula).

26. Tenho curso técnico em moda e até cheguei a estagiar na área quando era adolescente. Eu tinha aulas de desenho, modelagem e costura, mas hoje não me lembro nem como se liga uma máquina de costura mais.

27. Saí da casa dos meus pais com 17 anos, quando vim para BH cursar a faculdade. Acho que isso foi fundamental para que eu aprendesse a me virar na vida adulta.

28. Conheci meu namorado na faculdade, ficamos depois de duas semanas e nunca mais nos desgrudamos. Estamos juntos há oito anos e há três morando juntos.

29. Durante toda minha adolescência eu colecionei revistas Capricho e, depois de adulta, Gloss e Glamour. Hoje em dia, não consumo mais revistas “femininas” por não concordar com a forma que estimulam padrões de beleza inatingíveis.

30. Apesar de saber que estamos em constante evolução e desenvolvimento, hoje em dia me sinto muito mais orgulhosa do meu jeito de ser do que antigamente. Na real, eu gosto muito de ser quem eu sou. ❤

Bom, esses foram os 30 fatos sobre mim que provavelmente vocês não sabiam. Gosto de dividir algumas coisas da minha vida com vocês pois assim vocês conhecem um pouco mais sobre quem escreve o blog e nós ficamos mais próximos 🙂

* Imagem retirada daqui

17629873_1319972661384518_3287602528063976838_n

BEDA #11 – TAG 31 Perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

acacia brinley, aesthetic, alternative, beautiful, beauty, brown hair, cute, easel, flawless, freedom, friend, friendship, girl, goals, hipster, indie, ipad, laughter, makeup, natural beauty, nike, photography, sun, tumblr

Vi essa TAG no grupo do Face Se Organizar, Todo Mundo Bloga e descobri que na verdade ela surgiu em um post do Buzzfeed (beijo, Buzzfeed!). Como achei as perguntas interessantes e engraçadas, resolvi responder aqui pra dar uma descontraída nesse BEDA. Vamos lá?

1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete?
Não sei dizer se tem gosto de sabonete (até porque nunca comi sabonete, né?), mas não gosto de coentro. Aliás, nem sei a diferença entre coentro e salsa, mas sei que não gosto de nenhum.

2. O que você acha de áudios do WhatsApp?
Não tenho muita paciência, prefiro mensagem de texto mesmo. Mas entendo que às vezes é necessário, tipo quando você tá no ônibus se segurando em pé.

3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas?

Claro, se alguém comia diferente, comia errado. Inclusive, bem que esse chocolate poderia voltar né?

4. Qual é a melhor consoante do alfabeto?
M, a melhor e mais linda ❤

5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã?
A primeira que tiver notificação, pois não gosto daquele número do lado do ícone do aplicativo. Normalmente é Whatsapp ou Facebook.

6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo?
Várias balas. Adoro Ice Kiss e Butter Toffees, por exemplo.

7. Que cor você acha menos confiável?
Nunca gostei muito de marrom.

8. Qual foi o último filme que você viu e odiou?
Vasculhei a memória aqui e não me lembro. Talvez Cinquenta Tons de Cinza.

9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?
Golfinho, apesar de saber que eles pode ser bem cruéis

10. Toddy ou Nescau?
Nescau, sempre.

11. Você acha que bebês conversam uns com os outros?
Claro.

12. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas?
Mas baby, nós somos estrelas. 😉

13. Ouro Branco ou Sonho de Valsa?
Sempre que eu puder optar por chocolate que não seja branco, eu opto. Então, Sonho de Valsa.

14. Qual era seu desenho favorito na infância?
Vários: Looney Tunes (principalmente Pernalonga), Pokémon, As Meninas Superpoderosas…

15. Que série você jamais reveria?
Gossip Girl e Lost, porque em ambos os casos o final foi uma afronta a quem era fã das temporadas anteriores.

16. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta?
Nunca assisti os filmes e nem li os livros, então não sei opinar.

17. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal?
Eu gosto bastante.

18. Com quem você dividiria um Bis?
Com ninguém. Bis não se divide.

19. O que você faria se achasse R$ 50 na rua?
Olharia em volta e esperaria para ver se alguém viria procurar. Se não, pegaria o dinheiro e provavelmente depositaria no banco porque não gosto de andar com dinheiro.

20. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha?
Essa pergunta é difícil. Acho que mais de uma semana.

21. Qual é seu número preferido?
13, meu número da sorte ❤

22. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular?
Não tenho nenhum aplicativo inútil, todos os que eu baixei são utilizados. Talvez alguns dos apps nativos que eu não consigo desinstalar.

23. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado?
Essa pergunta pra mim é impossível de responder. Eu AMO Friends com todo meu coração e acho que o elenco é o principal responsável por isso. Sério, não consigo tirar ninguém.

24. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz?
Ah, confesso que já comi. Não tenho nada contra.

25. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bhaskara?
Provavelmente em alguma prova de matemática do Ensino Médio, ou seja, faz tempo.

26. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula?
Talvez, mas seria uma morte bem sofrida.

27. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat?
Demorei muito porque meu celular antigo simplesmente não suportava o Snapchat. Mas agora nem vale a pena mais, né? Pouca gente usa.

28. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo?
Procuro opções que eu não saiba cozinhar ou raramente faça em casa. Normalmente arroz, feijão, batata frita, couve e bife à parmegiana.

29. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber?
Adoro!

30. Você prefere passar muito frio ou muito calor?
Muito frio, com certeza, porque pelo menos eu poderia acrescentar mais e mais camadas de roupas para me proteger. Calor ninguém merece.

31. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa?
Continuar dormindo sem saber, óbvio. A ignorância, nesse caso, seria uma bênção.

Gente, adorei responder essa TAG! Apesar de longa, é muito diferente e divertida 🙂

* Imagem retirada daqui

17629873_1319972661384518_3287602528063976838_n

BEDA #4 – O que tem na minha bolsa?

Não sei vocês, mas eu sou muito curiosa pra saber o que as pessoas carregam na bolsa, mochila, etc. Por isso, resolvi trazer para vocês um pouco sobre como eu organizo as coisas que carrego comigo no dia-a-dia. Bora lá?

Em primeiro lugar, recentemente troquei a bolsa (usava essa aqui, da Cat Club) por uma mochila, por achar que cabe mais coisas, tem mais divisórias e é mais prática. Essa mochila é bem antiga, comprei em uma feirinha de artesanato da UFMG na época que fazia faculdade. Ela é de tecido e com jeitinho de feita à mão mesmo, além de eu achar um charme a estampa de caveirinhas combinada com os detalhes em vermelho. É bem espaçosa e não pesa nada, o que é ótimo pra rotina de andar a pé e pegar busão.

WhatsApp Image 2017-03-13 at 19.18.54

O que eu levo:

  • Cartão do ônibus: a vida não é só glamour, né?
  • Carteira: velhinha de guerra, mas gosto muito dela. Tem várias divisórias para cartões e documentos
  • Sombrinha: gosto da estampa de cerejas e também tenho ela há muito tempo. Já me salvou de muitas chuvas inesperadas
  • Necessaires: na maior, levo um absorvente (mesmo com o coletor, nunca se sabe, né?), um pó compacto e um pincel kabuki para dar uma matificada na pele ao longo do dia. Na menor, levo comprimidos diversos. Tenho tentado tomar menos remédios ultimamente, mas às vezes somos pegos de surpresa por um mal estar e é melhor sobrar do que faltar
  •  Carregador/cabo de celular: assim, evito ficar sem bateria ao longo do dia
  • Fones de ouvido: tenho um par, o original que veio com meu celular e um xing ling que deixo de reserva
  • Óculos escuros: como no horário que saio de casa o sol já está bem forte, é sempre bom ter em mãos
  • Caneta: normalmente carrego caneta e um caderninho de anotações, mas nesse dia tinha deixado o caderno no trabalho, então ficou só a caneta
  • Espelho: esse espelhinho é muito fofo (a estampa é de gatinhos tomando café, haha) e sempre salva quando preciso dar aquela checada rápida no visual
  • Acessórios de cabelo: grampos, elásticos, tic tacs, tudo dentro dessa caixinha de plástico. Assim, não corro o risco de não ter com o que prender o cabelo
  • Lipbalm Baby Lips, da Maybelline: se tem uma coisa que eu não vivo sem, essa coisa é lipbalm. Esse, além de manter os lábios hidratados, ainda dá uma corzinha (o meu é na cor Cacau)
  • Desodorante Corpo a Corpo: eu AMO esse desodorante! Além de ter um cheiro maravilhoso e ser prático de levar na bolsa, ele é um dos poucos que protege mesmo no calorão.

Além desses itens, levo ainda meu celular e minhas chaves, no bolso externo da mochila. Acho que todas essas coisas são bem úteis e, na correria, é bom ter tudo sempre à mão. E vocês, o que levam na bolsa?

* Imagem retirada daqui

17629873_1319972661384518_3287602528063976838_n

TAG – Como me tornei minimalista

d6b61bf38720edc6c731a1c10e80c8c2

No final do ano passado a linda da Bruna me marcou para responder a TAG “Como eu me tornei minimalista” e hoje venho responder para vocês. Achei as perguntas muito interessantes e acho que vai ser uma boa contar minha história, de como entrei para este ~movimento~. Vamos lá?

  1. Primeiro, como resolvi me tornar “minimalista”?
    Eu já vinha me interessando pelo tema e acompanhando blogs sobre minimalismo há algum tempo, mas no dia 25/03/2014 eu decidi mergulhar de cabeça nesse estilo de vida mais simples. Criei um tumblr com o objetivo de fazer um diário para relatar minha caminhada e dividir experiências. Aos poucos a ideia inicial foi se modificando, tomando outra forma, e deu origem ao que o blog é hoje: um espaço para compartilhar minhas ideias e vivências que já não se prendem mais ~apenas~ ao minimalismo.

  2. Porque senti necessidade de mudar minha vida?
    Eu percebi que acumulava muitas coisas há anos, coisas que já não me faziam feliz e que já não tinham a ver comigo. E na categoria “coisas” estão inclusos objetos, roupas, ideias, sentimentos e tudo o mais que já não cabiam no meu momento. Por isso, resolvi mudar de vida e desapegar de várias dessas coisas que estavam me incomodando.

  3. Por onde comecei?
    Comecei pelo espaço físico. Na época eu dividia apartamento com a minha irmã e meu quarto era cheio de “cantinhos da bagunça”, com tralhas e coisas que, se fossem embora, não fariam a menor falta. Lembro que fiz uma verdadeira limpa no meu armário, doei roupas e sapatos que já não serviam mais ou que não tinham a ver com o meu estilo. Também desapeguei da minha coleção de revistas (que eu guardava desde a adolescência), o que foi mais doloroso porque envolvia valor sentimental. Depois dos desapegos físicos, comecei aos poucos a adquirir novos hábitos e a cada dia refletir mais sobre minhas ações e atitudes – e esse processo é mais complexo e demorado do que mudar o ambiente físico.

  4. Quanto tempo levou até que percebi a mudança de hábito?
    Depois de ter desapegado da maior parte das minhas tralhas físicas, a ficha começou a cair. Vi que meu quarto ficou muito mais espaçoso e, de uma forma que não consigo explicar, eu me senti mais leve. A partir daquele dia, vi que algo havia mudado em mim. Desde então, evito ao máximo o acúmulo de coisas. Também mudei muito da minha rotina, abdicando de hábitos antigos que já não me faziam bem e me abrindo para novos hábitos.

  5. Você implementou outras mudanças em sua vida?
    Sim, muitas. Na verdade, o minimalismo das coisas físicas foi só a ponta do iceberg. Passei a levar a sério a ideia de vida simples, e percebi que antes eu complicava demais (até mesmo a forma como lidava com meus sentimentos). Costumo dizer que comecei uma jornada em busca do minimalismo e acabei encontrando a mim mesma no caminho. Entrei em contato mais profundo comigo mesma, com minhas qualidades e falhas, e pude começar as mudanças que eu vinha adiando há tempos.

  6. Por fim, de todo esse processo, o que foi mais importante para você?
    Para mim, o mais importante foi justamente o autoconhecimento. Ao longo dessa jornada (lá se vão cerca de dois anos), abracei meus valores e entendi o que é realmente essencial na minha vida. Vi que os bens materiais são muito menos importantes do que a paz de espírito, o sossego e as coisas simples da vida. Posso dizer que o minimalismo me ajudou a me tornar uma pessoa melhor do que eu era antes, e a chegar mais perto da pessoa que eu quero ser no futuro. Tá pouco ou quer mais? 😛

É isso, galera. Indico essa TAG a todos que ainda não tiverem respondido. Adoro aprender com a experiência de outras pessoas! 😉

* Imagem retirada daqui

TAG – Você é uma pessoa organizada?

Organização

Há algum tempo tenho visto algumas blogueiras responderem a essa TAG e, como gosto muito de conhecer os hábitos de organização de outras pessoas, achei muito interessante. Por isso, hoje resolvi responder também. Vamos lá:

1 – Você planeja sua semana? Se planeja, como?
Mais ou menos. Prefiro me programar a cada dia, então normalmente de manhã eu planejo as atividades que vou executar ao longo do dia. Porém, no que diz respeito a compromissos, gosto de ter uma visão mais ampla sobre o que tenho que fazer durante a semana (por ex: consultas médicas, encontros com amigos, etc.) para me preparar adequadamente para cada situação.

2 – Costuma usar agenda ou planner?
Não é sempre, mas utilizo a agenda do celular para anotar os compromissos e também utilizo planners para me organizar quando tenho muitas tarefas no trabalho, por exemplo. No Pinterest é possível encontrar várias opções de daily planners, mas como é algo ocasional, prefiro imprimir apenas quando preciso.

3 – Quando precisa de algo rápido em casa, costuma achar com facilidade?
Normalmente, sim. Cada coisa tem seu lugar e procuro manter tudo sempre em ordem. Porém, como me mudei recentemente, ainda há algumas coisas fora do lugar (mas estou trabalhando nisso!).

4- O que você tem em cima do seu criado mudo?
Uma luminária para poder ler à noite, meus livros de cabeceira e alguns objetos zen (baguá, cristais, um gatinho da sorte japonês e um porta incenso). Quando vou dormir, também coloco meu celular, pois uso ele como despertador.

5 – O que você costuma carregar na bolsa ou mochila?
Normalmente carrego minha carteira, necessaire com remédios, colírio e protetor labial, guarda-chuva, celular, carregador, fone de ouvido e as chaves de casa. Tenho uma bolsa com alça tiracolo que prefiro usar no dia a dia, mas quando preciso levar meu notebook, uso uma mochila.

6 – Sua família te acha uma pessoa organizada?
Não mesmo, hahaha! Minha família costuma relacionar “organização” apenas à arrumação de objetos e, quando morava com eles, digamos que eu não era a pessoa mais organizada do mundo nesse quesito. Hoje entendo que ser organizada vai muito além de ordenar objetos e manter a casa impecável, mas acho que minha família não pensa assim.

7 – Quando tira uma roupa, costuma deixá-la onde?
Se pretendo usar a roupa novamente, dobro e coloco em uma pilha específica no armário. Se não, coloco no cesto de roupas sujas. Mas confesso que, dependendo do nível da minha preguiça no dia, deixo jogadas em cima da cadeira mesmo.

8 – Costuma planejar seus dias de folga?
Depende. Nos dias de folga do trabalho é quando posso me dedicar mais a atividades pessoais e ao blog, por isso, geralmente faço uma lista de coisas que gostaria de concluir (mas também não me cobro muito se não conseguir, afinal, folgas foram feitas para descansar).

9 – Costuma criar check lists? Para quê?
Sim, para tudo! Gosto muito de listas, acho que são o método mais simples e fácil de organização. Listo tarefas para fazer, coisas que preciso comprar, metas a cumprir, enfim, de tudo um pouco. Acho que funcionam muito bem (e o prazer de riscar algo da lista é maravilhoso, haha).

10 – Qual sua maior dificuldade em se organizar?
Com certeza é vencer a preguiça depois de um dia cansativo de trabalho. Por isso, meu grande pecado é ir pelo caminho mais fácil (deixar coisas fora do lugar, me distrair com as redes sociais, não preparar refeições saudáveis, etc.), mas estou aos poucos me tornando mais consciente e evitando esses hábitos ruins.

Enfim, espero que você tenha gostado de saber um pouco mais sobre minha organização pessoal. 🙂 Sinta-se à vontade para responder a TAG também e, se quiser, deixe o link do post nos comentários… vou adorar conhecer um pouco mais sobre você também!

* Imagem retirada daqui